Aplicativos multimídia para Mac: Open Source

A abertura e a transparência do desenvolvimento open source produz softwares de qualidade nas mais variadas plataformas, o que não é de se surpreender, já que a missão da iniciativa open source é oferecer melhor qualidade, maior confiabilidade, mais flexibilidade, menor custo e um fim às restrições predatórias praticadas por distribuidores.

Existe grande quantidade de aplicativos open source disponíveis (geralmente de forma gratuita) para instalação no seu MacBook, iMac ou Mac Mini. Muitos deles ocupam posições de destaque em seus respectivos campos, mas outros são relativamente desconhecidos, apesar de serem excelentes soluções.

Alguns deles só existem em versões para Mac, mas a maioria está disponível para diversas plataformas contemporâneas.

A partir de hoje iniciamos uma série de posts, com periodicidade indefinida, que vai dar destaque a algumas apps em código aberto que não devem faltar no seu Mac. Neste primeiro post nosso foco serão os aplicativos multimídia, e veremos:

  • Perian: similar a um "CODEC Pack" do mundo Windows, mas open source e voltado ao QuickTime do Mac.
  • XBMC: transforma o Mac em um ótimo media center e organizador de coleção de vídeos
  • VLC: a chave universal da exibição e conversão de vídeos
  • HandBrake: um conversor de formatos e mídias: do DVD para o Mac, entre formatos, e o que mais precisar.

Vamos a eles!

Perian: expandindo a mente do QuickTime

O QuickTime, aplicativo oficial da Apple para exibir vídeos no Mac, vem com suporte a um número limitadíssimo de formatos de vídeo, razão pela qual muitos usuários rapidamente o deixam de lado e o substituem por outros aplicativos mais versáteis, como o VLC (que veremos a seguir).

Mas usar o player nativo da plataforma tem algumas vantagens - por exemplo, na hora da integração com outros aplicativos. Aí há 3 soluções possíveis: só usar os formatos suportados pela Apple, converter sua coleção de vídeos para estes formatos, ou fazer o QuickTime suportar formatos adicionais.

E esta terceira via é justamente a que o Perian domina com maestria: ele é um componente open source para o QuickTime, que se integra ao Mac OS X na forma de um painel adicional das Preferências do Sistema e, quando ativado, faz com que o QuickTime trate com naturalidade (exatamente como se fossem nativos!) os formatos que ele opta por não suportar por dafault, como:

  • as diversas variações de arquivos AVI, DIVx, FLV, MKV, GVI, VFW, ...
  • vídeos MS-MPEG4, DivX, 3ivx, H.264, Sorenson, H.263, MPEG 1 e 2, ...
  • áudio WMA, Vorbis, MPEG, DTS, ...
  • Suporte a AVI com AAC, áudio AC3, H.264, MPEG 4, ...
  • Legendas SRT SAMI, SSA/ASS

A instalação é simples e, quando concluída, ativa um ícone específico para o Perian no seu painel de Preferências do Sistema. No QuickTime em si não há mudança visível, exceto o fato de que ele passará a exibir arquivos que antes informava não suportar ;-)

O Perian é um software open source (licença LGPL), e inclui códigos de vários outros projetos fundamentais para o suporte a multimídia em código aberto, como o ffmpeg, MatroskaQT e mais. Ele também é incluído em alguns outros projetos, como a versão Mac do Miro e o Airfoil.

XBMC: transformando o Mac em Media Center

Todo Mac recente já vem com o Front Row, um aplicativo (que você ativa digitando ⌘+ESC) para ser usado na sala de TV e facilitar o acesso à biblioteca de vídeos do seu iTunes e mais alguns outros conteúdos que a Apple selecionou para você.

Mas além da sua interface ser um pouco limitada (ou intencionalmente espartana, dependendo de a quem você perguntar), ele é bastante restrito quanto às fontes dos conteúdos que pode exibir - ou você coloca todos os seus arquivos no iTunes, ou terá que achar outra forma de exibi-los.

E a "outra forma de exibi-los" que eu prefiro é o XBMC, uma solução completa que serve tanto como aplicativo para usar na tela do seu Mac quanto para ser a base de uma central de entretenimento digital que funciona bem em toda a linha - inclusive nos Mac Minis, que agora vêm com saída HDMI nativa e são bem fáceis de instalar perto da maior TV da casa ;-)

O premiado XBMC está em atividade desde 2003, e hoje tem versões para Mac, Linux e Windows. Ele exibe praticamente todos os formatos populares de áudio e vídeo (inclusive com as legendas!), funciona com arquivos locais (do seu HD, discos removíveis, pen drives, etc.) quanto via streaming. E tem tantas funcionalidades extras que nem dá de pensar em fazer uma lista delas aqui!

Um ponto em que o XBMC brilha é a possibilidade de criar bibliotecas de conteúdo multimídia, agrupando filmes, episódios de seriados, músicas, etc. e até mesmo obtendo via Internet as ilustrações das capas, textos descritivos de filmes (como o da tela acima) e episódios e mais - perfeito para videófilos, ainda que às vezes não seja tão fácil colocar este recurso em uso.

Geralmente eu uso o XBMC ligado à TV por um adaptador HDMI para o
conector Mini DisplayPort dp meu MacBook, às vezes até mesmo fazendo uso
do luxuoso Apple Remote (primeira geração, aquele que parecia um iPod)
que acompanhou o meu primeiro Mac Mini, há alguns anos ;-)

VLC: tudo e mais um pouco

O VLC é de tudo um pouco: ele é player de vídeo e áudio, faz e recebe streaming, converte formatos multimídia, e muito mais.

Por ser tão versátil, ele não pode faltar em nenhum computador - pois ainda que possa não ser o seu aplicativo preferido, ele geralmente será um excelente estepe para quando o preferido não conseguir entender algum formato ou completar alguma tarefa.

Mas não é impossível que ele acabe sendo o seu preferido, também: é simples, é rápido, é extensível, suporta a maioria dos formatos e mídias conhecidos pela humanidade, e tem mais um caminhão de outras vantagens.

Além disso tudo, ele é open source, e está disponível para Mac em versões estáveis e frequentemente atualizadas. E nunca está ausente em nenhum computador que eu use!

HandBrake

O HandBrake resolve uma demanda comum nestes tempos em que queremos ter cópias de nossos vídeos funcionando perfeitamente tanto na TV de mais de 1m de diagonal quanto na telinha do celular - para não falar na salada de restrições de formatos que precisamos encarar para colocar nossos vídeos para funcionar em aparelhos com restrições como o PS3, o PSP, vários tablets e smartphones.

E ele resolve com categoria, oferecendo uma interface tão simples quanto possível para um aplicativo que permite ter controle sobre os detalhes de uma tarefa com tanta possibilidade de variação.

Eu uso para converter DVDs para assistir seriados no iPad em longas viagens, para fazer versões reduzidas (em resolução ou em tamanho de arquivo) de vídeos dependendo das necessidades de cada momento, e para converter os formatos para atender aos mais variados aparelhos e players dos amigos, conhecidos e familiares que não conseguem fazer com que o vídeo filmado na câmera apareça no videogame, no celular ou na TV que tem suporte a pendrive.

Como dizem os autores do HandBrake, uma função dos bons softwares é fazer parecer simples o que é complexo, e eles buscam fazer isso sem varrer a complexidade para baixo do tapete.

Versões anteriores do HandBrake tinham suporte a gerar vídeos em uma variedade maior de formatos, mas felizmente os players estão se consolidando, e agora o aplicativo só precisa se preocupar com gerar arquivos MP4 e MKV, contendo vídeos MPEG-4, H.264 ou Theora.

Quando os formatos e dispositivos suportam, o HandBrake sabe lidar com seleção e marcação de capítulos, inclusão de legenda, alguns efeitos essenciais de qualidade da imagem, e mais. Ele também tem uma variedade de configurações pré-prontas (presets) para os formatos de saída: iPod, iPhone, Apple TV, Clássico e o meu preferido, singelamente batizado de "Normal".

Existem outros aplicativos de conversão de vídeo, mas este é o meu preferido há anos, e vem ficando melhor com a maturidade. Recomendo fortemente!

Nos próximos capítulos...

A variedade de aplicativos open source para Mac é grande, e muitos merecem ser destacados por aqui. Nos próximos posts da série, veremos os destaques em outras áreas, e conto desde já com suas sugestões!

Comentar

Comentários arquivados

Artigos recentes: