Apps para aviação no iPad: planejamento de vôos

por Diego Mendonça, autor convidado

Olá, meu nome é Diego Mendonça. Sou piloto privado (PP) e estou estudando para tirar a habilitação de piloto comercial (PC).

Quero mostrar a vocês como faço os planejamentos dos meus vôos e como isso era feito antes do iPad. vou começar mostrando como era feito antigamente e acho que neste caso uma imagem vale mais que palavras:

Acho que a imagem acima consegue descrever bem tudo que envolvia o planejamento de um vôo: régua, transferidor, lápis, cartas e uma pequena ajudinha tecnológica do computador.

Fora isso ainda tem todo o material que temos que levar no vôo, como o planejamento de cartas de saida, de aproximação e rota dentre outros documentos. Não que seja desnecessário levar tudo isso hoje em dia, não se engane, você deve levá-los junto com o iPad. Deve-se ficar guardado, pois além de ser obrigatório serve como um backup em caso de algum problema com o iPad.

Depois do iPad, um planejamento demorado passou a ser feito em minutos e com uma precisão muito maior do que o planejamento convencional.

Um detalhe muito importante é que para ter GPS incluso o iPad deve ser do modelo 3G.

Uma outra vantagem desses programas em relação aos GPS aeronáuticos é o preço bastante reduzido, sempre lembrando que GPS seja ele homologado ou não deve sempre ser usado como auxílio a navegação e nunca como meio primário.

Existem diversos apps na app store muito bacanas como o Jeppesen Mobile TC, Flight Guide iEFB, Fore Flight e o Air Navigation Pro. Infelizmente nosso país é desprovido de suporte para boa parte desses programas ou quando tem suporte é bastante precário. Claro existem exceções, os programas da Jeppsen funcionam muito bem por aqui e também o Air Navigation Pro, esse último inclusive é o foco desse artigo.

Ele não tem o que eu chamaria de melhor interface em relação aos concorrentes, porém funciona tão bem quanto e é facil de usar. A grande vantagem desse software em relação aos outros produtos é o suporte ao Brasil e sua capacidade de expansão com facilidade contendo cartas WAC vendido em separado, como In App Purchase.

Uma outra possibilidade é usar os mapas de cidades/estradas providos pelo Open Street Maps. Recentemente foi adicionado suporte a dados de elevação do Brasil também. Claro que isso tem um custo, o tamanho total com todos esses dados é de cerca de 2,6 GB. Um outro ponto interessante é que ele funciona tão bem no iPad quanto no iphone e você ainda conta com informações sobre a maioria dos aeroportos, heliportos e helipontos.

Abaixo um video comparando iPad com o instrumento do avião:

Como disse anteriormente um dos pontos mais interessantes é a sua capacidade de expansão podendo ser cadastrados waypoints, aeródromos, espaços aéreos dentre outras coisas. Além disso pode-se adicionar cartas de saída (SID), aproximação (STAR) e pouso por instrumento (IAC) além de qualquer outro documento em pdf relacionado ao aeródromo.

Os pontos negativos são a falta de algumas informações como meteorologia e o fato de ser mais voltado para vôos VFR (visual), porem, noto que desde que comecei a usar o programa ele evoluiu muito.

Um dos pontos negativos do programa pode ser suprido com outro chamado Aeroweather onde é possível pegar informações meteorológicas com grande facilidade, porém estamos no Brasil e o país tem um suporte mediocre no programa. Alguns aeroportos do interior ainda não são reconhecidos (o que faz falta) então temos que recorrer a programas tradicionais de meteorologia.

Um outro programa indispensável é o eWAC Sul e o eWAC Norte, que contem cartas visuais e instrumentos do país, incluindo cartas de corredores visuais, que com auxilio do GPS oferece uma excelente performance facilitando bastante a vida do piloto.

Comentar

Comentários arquivados

Artigos recentes: