Mac Mini como media center: relato de um usuário satisfeito

Por Maicon Piovesan (maiconpiovesan@me.com).

Comprei meu primeiro (e atual) Mac Mini em meados de 2010. Estava com um milhão de dúvidas: qual modelo comprar, qual processador, HD, placa de vídeo, RAM, etc.

Li o que encontrei de material disponível, e decidi simplesmente ir em uma Apple Reseller (uma iPlace no shopping Iguatemi em Porto Alegre) e comprar a melhor opção que achava viável e que o $$ permitia no momento.

Comprei um Mac Mini 2.4 Ghz Intel Core 2 Duo, 2 GB RAM e 320 GB de HD. Como eu ja tinha um teclado sem fio e mouse Apple, não precisei comprar esses 2 itens. Só comprei um cabo HDMI de melhor qualidade que consegui encontrar. [nota: este modelo de Mac Mini ainda vinha com drive de CD/DVD - não é o caso dos modelos atuais).

[Leia também: Mac mini conectado à TV: funciona bem ou não? Veja o resultado dos testes]

Tirando da caixa

Não via a hora de chegar em casa, abrir a caixa e conectar o bichinho na minha TV Samsung 42″.

Tirei da caixa, conectei os cabos e liguei. Sem nenhuma surpresa, o Mini localizou o teclado, o mouse e configurou o HDMI com a TV automaticamente.

Também liguei o som que tenho na sala na saida de áudio do Mini, o que melhorou um monte a qualidade sonora do conjunto.

Selecionando o software

Etapa inicial finalizada, segui em diante para as próximas etapas.

Como na época a minha esposa estava viajando, e era num sábado, de tão empolgado que estava, quase virei a noite configurando e organizando o meu primeiro Media Center “profissional”… rsssss

Comecei testando o Front Row [hoje ausente no OS X Lion], depois instalei o Plex, XBMC e Boxee. Não sabia ao certo como proceder nesse novo mundo, entao comecei a testar tudo que tinha lido sobre programas pra essa finalidade.

Por incrível que pareca, acabei optando pelo iTunes mesmo para consolidar e organizar a minha biblioteca de mídias. Achei muito mais fácil de organizar nele o que era filme, música, videoclipe, programa de tv, shows, vídeos caseiros, etc.

Com os o outros programas mencionados acima, não consegui me organizar na separação das categorias de cada tipo de mídia.

Depois de alguns dias, comprei tambem um Apple Remote, mas não tenho utilizado muito pois a integração dele com o iTunes não é das mais amigáveis…

Importando os conteúdos: CDs, DVDs, Fotos, Clips

Decidido qual seria meu programa principal, comecei a alimentar o iTunes com tudo que tinha espalhado em varios computadores, HDs, CDs, até o momento dessa minha vida digital. [Nota: o modelo de Mac Mini do autor tem drive de CD/DVD interno - não é o caso dos modelos atuais]

A primeira etapa foi importar todos os meus CDs de música. Foram quase duas semanas para importar os quase 300 CDs que tenho. Uma vantagem que achei, era que bastava inserir o CD, que o iTunes localizava os nomes das faixas, e iniciava a importação. Se eu não estava na frente de Mini quado acabava, ao retornar para casa, bastava ejetar o disco e colocar outro, sequencialmente até finalizar todo o processo.

O próximo desafio foi em relação a importar os filmes em DVD e seriados. Pesquisa vai, pesquisa vem, acabei encontrando um tal de Handbrake. Eita programinha bom, eficiente e acima de tudo grátis!
Basta inserir o DVD, escolher um preset de importação, definir legenda e áudios, e apertar o start. Algum tempo depois (normalmente entre 1 e 2 horas para mim) o DVD já esta em um arquivo. Depois, basta arrastar para o iTunes para adicionar a biblioteca. Nas minhas importações, digamos que funciona em 90% dos DVDs, pois alguns tem travas de segurança contra pirataria que não permitem a importação.

Resolvida essa etapa de importação de CDs e DVDs, parti para o desbravamento do mundo dos torrents e baixar coisas da internet. Gosto de baixar videoclipes em alta resolução, para passar quando estamos com amigos em casa.

O primeiro programa que testei foi o Transmission. Para download funcionava bem, só que quando estava em funcionamento, simplesmente se adonava da internet aqui em casa, e nada mais funcionava. Não conseguia navegar nem baixar emails. Testei outro, chamado uTorrent. Esse sim consegui configurar corretamente e está ligado até hoje, 24 horas desde então. [nota: o Transmission também permite configurar limites de ocupação da banda disponível]

Outra utilidade que gosto também do Mini é colocar as melhores fotos para ficarem passando na TV, como se fosse um porta-retrato gigante. Basta importar as fotos no iPhoto, e configurar o protetor de tela para passar essas fotos. Todo mundo gosta muito, e vive perguntando como eu faço isso ;-)

Nas configurações de proteção de tela, gosto muito do modo que simula ir empilhando as fotos na tela como se fossem de Polaroid!

Programei pro Mini entrar na proteção de tela após 10 minutos, e caso queira exibir as fotos antes, configurei para entrar nesse modo quando encostar o cursor do mouse no canto inferior esquerdo da tela.

Na prática

Como o tamanho da biblioteca comecou a aumentar vertiginosamente, adquiri um tempo atrás um HD externo Seagate de 2TB, que conectei numa porta USB. Agora está resolvido por um bom tempo meu problema de armazenamento.

Coloquei o Mac Mini em um espaço da estante embaixo da TV, e o nobreak, HD externo, régua para ligar todos os cabos e teclado ficam em uma gaveta, abaixo do Mini. Fica tudo organizado e limpo. Ficou show de bola!

Nesse um ano e pouco que tenho usado essa configuração, tudo tem funcionado que é uma beleza. Tudo redondinho e macio só como o OS X consegue ser.

Os vídeos, filmes e clipes rodam tranquilamente, sem travamentos. Há 4 meses, fiz um upgrade da memória RAM. Decidi aumentar de 2GB para 8GB. Me pareceu que as coisas fluem melhor na tela. Gostei da atualização.

Atualmente o tamanho da minha biblioteca dentro do iTunes está assim: Musicas: 155 GB; Filmes: 172 GB; Videoclipes: 31 GB; Shows: 57 GB; Seriados: 110 GB. Tudo bem organizado e bonitinho, cada um em seu devido lugar.

Mais aplicativos na TV da sala

Semana passada, fiz algumas experiencias com programas diferentes para tocar músicas, e estou gostando muito de um chamado dJay, da Algoriddim. Ele se adapta muito bem à biblioteca do iTunes, e usa todas as listas já feitas depois de muita pesquisa. Esse programa também tem uma versão para iPhone, que me deixa controlar tudo pelo smartphone. Simples, e muito bom pra comandar as festas sem ter que ficar grudado na frente do micro.

Também tenho outro programa que se chama Spin Music Pro, que fica tocando rádios on-line do mundo todo. Muito bom pra quando estou de saco cheio das minhas músicas.

Também uso o Mini pra rodar emuladores de video-games antigos. Muito legal rever os jogos do antigo Nintendo 8 bits! Com as informações do site applemediacenter.com comprei dois controles sem fio, tipo os do PS, e dá pra jogar com os amigos Street Fighter II, Super Mario World, F-Zero e Donkey Kong em tela cheia na sala!

Outro programinha show de bola que descobri essa semana chama-se LogMeIn. Com ele instalado no Mac Mini e no iPhone, consigo acessar remotamente o computador em casa, quando estou fora. Muito bom para verificar se tudo está funcionando ok, e pra verificar como está o andamento dos torrents.

Uso muito também pra navegar na internet, pra mostrar fotos no iPhoto.

Instalei até um programinha chamado Fireplace, que simula uma lareira. Sucesso entre a galera nos dias frios do Sul!

Conclusão

Resumindo, cada dia mais me surpreendo da capacidade e dinâmica de uma máquina tão pequena. Pesquisando bem sobre o assunto, o que dá pra fazer é quase infinito.

Concluindo, se não fosse o Mac Mini, ainda estaria uma bagunça essas minhas mídias, e eu ainda estaria conectando e desconectando toda hora o MacBook Pro na TV da sala cada vez que fosse necessário.

Tenho feito várias outras experimentações com o Mac Mini, daqui algum tempo posto mais detalhes.

Augusto, queria te agradecer pelos 2 blogs que tu mantém, que tem sido minhas fontes de atualizações sobre o mundo Mac e sobre o assunto efetividade. Parabéns, e continue sempre assim!

O autor convidado Maicon Piovesan (maiconpiovesan@me.com) escreveu este texto originalmente em um iPhone ツ
 

Leia também

Comentar

Comentários arquivados

Artigos recentes: