Música no iPad sem lotar a memória: comparando 5 apps de áudio na nuvem

Por Bruno Schmidt Marques, autor convidado.

Hoje o iPad está disponível em 3 capacidades, 16, 32 e 64gb. Para o uso básico o modelo de 16Gb é o suficiente, mas sempre há aqueles que necessitam de mais espaço, que é consumido principalmente por músicas e pelos aplicativos retina.

Uma alternativa pode ser o uso de música na nuvem, serviços geralmente pagos, que disponibilizam uma grande quantidade de músicas através da internet.

Essa demanda me levou a experimentar diferentes soluções, que divergem entre si pela qualidade, quantidade de recursos e preço.

Na minha opinião, as melhores soluções disponíveis para nós, brasileiros, são:

  1. iTunes Match
  2. Rdio
  3. TuneIn Radio
  4. Grooveshark
  5. Remote e Home Sharing

iTunes Match

O iTunes Match é um serviço disponibilizado pela Apple que é integrado ao iTunes e custa 25 dólares por ano. Ele exporta a sua biblioteca de músicas para a internet, fazendo a correspondência entre os arquivos que você possui e os que estão disponíveis na iTunes Store.

As músicas da biblioteca que não possuem uma equivalente na loja são enviadas na forma de upload. A manipulação da biblioteca continua sendo realizada exclusivamente pelo iTunes, não sendo possível excluir ou adicionar músicas diretamente do iPad.

Uma vez baixadas no iPad é possível ouví-las normalmente, mesmo sem conexão com a internet. Também é possível deletar os arquivos armazenados no iPad para liberar espaço no dispositivo (sem excluir o arquivo da sua biblioteca na nuvem). O serviço não corrige as tags da música (nome, artista, álbum, etc.)

Rdio

Já o Rdio é um serviço disponibilizado no Brasil pela Oi que concorre diretamente com o iTunes Match e custa 15 reais por mês na configuração que será descrita.

Neste serviço milhares de músicas estão disponíveis sem custo adicional. O acesso a elas é ilimitado e pode ser feito através do navegador web, app para iPhone, iPad, Android, Windows ou Mac.

Ao navegar pelos artistas e álbuns o usuário adiciona as músicas que deseja na sua coleção, em qualquer plataforma que esteja, de maneira muito simples e rápida. Também pode-se escolher quais arquivos devem ser sincronizados para uso offline, possibilitando uma biblioteca imensa e pouco uso de espaço em disco.

O software no iPad tem uma interface muito bem feita, capaz de manipular a biblioteca de músicas diretamente. Porém alguns artistas não estão disponíveis no Brasil, ou são pequenos demais e não estão no acervo principal. Assim, perde-se a possibilidade de ter músicas de artistas locais ou incomuns.

TuneIn Radio

O TuneIn Radio é uma coletânea de centenas de rádios online gratuita. Estão disponíveis lá rádios internacionais temáticas, mistas, e também algumas rádios nacionais. Geralmente as rádios internacionais não possuem propagandas.

Pode inclusive realizar uma busca por gênero, canção ou artista, e o programa tenta encontrar alguma rádio com o que foi buscado.

A grande maioria das rádios informa o nome, artista, capa do álbum e duração da música, que o TuneIn organiza de maneira clara e eficiente. O ponto negativo aqui é a dependência de conexão a internet (nada exagerado, o streaming é bem leve) e a dificuldade de encontrar uma música específica.

Grooveshark

O Grooveshark possui um app que está disponível somente para dispositivos jailbroken. Porém os desenvolvedores estão criando um player HTML5, que pode ser adicionado no iPad como atalho para o Safari.

O player em si é bastante limitado em termos de recursos, mas dá acesso a todo o repositório do Grooveshark gratuitamente.

É possível inclusive montar uma playlist persistente no navegador. Assim como o TuneIn, ele precisa de conexão com a internet para funcionar. Talvez no futuro ele tenha algum armazenamento offline, mas isso parece bem distante por enquanto.

Remote e Home Sharing

Se você procura uma solução para utilizar a sua biblioteca de musicas dentro da mesma rede WiFi, o Remote e o Home Sharing ("Compartilhamento Familiar") podem ser o suficiente.

Ambos disponibilizam as músicas que você possui no iTunes no iPad. Pode-se, inclusive, utilizar o iPad como controle remoto do computador.

Não é necessário ter acesso a internet, mas o compartilhamento precisa estar habilitado nos dois dispositivos e a rede precisa ter uma boa velocidade.

Conclusão

Não existe um serviço ideal, que contemple as necessidades de todos. Porém o uso conjunto de alguns serviços pode suprir todas as suas necessidades.

Particularmente gosto muito do iTunes Match. O serviço é mais burocrático que o Rdio, mas após bem configurado ele é o mais versátil e barato. A única limitação que encontrei foi o gerenciamento dabiblioteca, que precisa ser feito no computador e leva mais tempo que os concorrentes.

Eu indicaria o uso do Rdio para aqueles que tem pavor do iTunes e/ou não tem muito tempo para baixar musicas e organizá-las no computador. O serviço é mais caro que o iTunes Match e tem alguns pequenos problemas (ausencia de artistas, limitações conforme a região) que no meu caso contam bastante.

Em conjunto com um dos dois serviços acima recomendo o uso do tuneIn e do Grooveshark. Não é preciso perder tempo com configuração, basta abrir o app e aumentar o volume. Não recomendo, porém, que você confie somente neles, pois um não possibilita a escolha da música e o outro ainda está em desenvolvimento e é bem limitado.

E você? Como gerencia suas músicas no iPad?

Agradecemos ao autor convidado Bruno Schmidt Marques por compartilhar este seu artigo com os leitores do BR-Mac!.
 

Comentar

Comentários arquivados

Artigos recentes: