MacBook: qual modelo comprar

Vai comprar um MacBook? Adiantando a conclusão do artigo, segue a dica: só há 2 modelos de MacBook 2012 abaixo de R$ 4000, e a melhor compra para uso geral depende de um critério básico: se você prefere portabilidade máxima, o MacBook Air de 11 é a escolha (e ele também tem melhor desempenho para uso geral e preço mais baixo), mas se você prefere uma tela maior e mais capacidade da CPU nesta faixa de preço, deve optar pelo MacBook Pro de 13 polegadas.

Lamentavelmente o MacBook Air de 13 polegadas (que tem mais desempenho, mais resolução de tela, mais portabilidade, boa bateria), que até a atualização anterior ficava na mesma faixa de preço, agora passou a estar bem acima dela, custando R$ 4.999,00 na tabela oficial. Como ele continua sendo uma excelente máquina, será analisado em conjunto com os outros 2 modelos neste artigo, mas a este preço não posso continuar recomendando a compra.

Os motivos para as recomendações acima, os detalhes e os critérios que você pode aplicar a uma escolha com base em seus próprios requisitos nós veremos em profundidade a seguir.

As linhas de MacBooks Air e Pro foram atualizadas em junho de 2012, trazendo como novidades alguns detalhes da especificação técnica (como a nova linha de processadores Intel Ivy Bridge e as portas USB 3), a chegada de uma nova (e bem cara) linha MacBook Pro com Tela Retina de altíssima definição e a saída de cena dos modelos de 17 polegadas. Em outubro de 2012 houve a adição de uma opção extra: o MacBook Pro de 13 polegadas com tela Retina, também acima da nossa faixa de preços da análise.

Infelizmente a prática comum da Apple de não aumentar os preços nas atualizações não valeu para o Brasil, que passou por uma flutuação cambial pouco antes da atualização: os modelos foram reajustados, e no momento o que custa menos continua a ser o MacBook Air de 11 polegadas e 64GB de armazenamento, mas o preço dele na tabela oficial (usada como referência para todos os demais preços mencionados neste artigo) passou de R$ 2.999 para R$ 3.699.

Mas a faixa de preços que usamos nos artigos anteriores ajudando a escolher um modelo de MacBook continua a mesma e agora abrange um modelo a menos em relação à edição passada: é a "faixa dos R$ 3000" (de R$ 3.000 a R$ 3.999,99), que abriga os modelos básicos do MacBook Air de 11 polegadas e MacBook Air de 13 polegadas (saiu dela o MacBook Pro de 13 polegadas).

Escolher um MacBook entre estes 2 modelos de entrada é uma decisão que precisa considerar o seu perfil e intenção de uso (que eu não posso avaliar por você), mas também as vantagens e desvantagens de cada produto, que discutiremos detalhadamente a seguir.

MacBook Air X MacBook Pro: características gerais dos modelos

Os 3 modelos que analisaremos hoje se dividem em 2 integrantes da linha MacBook Air (os modelos básicos de 11 e 13 polegadas) e 1 integrante da linha MacBook Pro.

Os MacBooks Air são voltados às aplicações típicas do público usuário geral (incluindo o navegador, texto, planilha e bate-papo nosso de cada dia) que valoriza especialmente a portabilidade, e são incrivelmente leves e finos para um computador com sua capacidade: os modelos de 11 polegadas pesam meros 1,08kg e os de 13 polegadas não passam de 1,35kg. Sua espessura não passa de 1,7cm no ponto mais volumoso de seu gabinete de alumínio – não é exagero dizer que dá para levá-lo em um envelope (já fiz isso mais de uma vez, com envelopes revestidos de plástico bolha, excelentes para proteger durante o transporte).

Para serem assim finos, eles abrem mão de uma série de recursos, como o drive de DVD e o conector para redes cabeadas. Para serem tão leves (e assim se tornarem também bem mais rápidos) eles trocam o disco rígido tradicional por uma unidade de armazenamento baseada na tecnologia SSD (que é mais cara, razão pela qual hoje eles oferecem menos espaço para armazenamento de arquivos do que até o mais modesto dos MacBook Pro).

A velocidade do armazenamento SSD faz muita diferença, como veremos a seguir quando falarmos em desempenho. Mas no uso do dia-a-dia você irá notar que ele acelera não apenas o boot como a gravação/leitura de dados e também o carregamento de aplicativos – usuários relatam que a diferença de tempo entre carregar um aplicativo simples como o TextEdit e um gigante inchado como o Microsoft Word chega a ser irrisória.

Também em consequência da opção pela velocidade e leveza dos SSDs, a capacidade de armazenamento interna (especialmente no modelo de 11 polegadas) se aproxima muito mais da dos tablets do que a dos demais notebooks do mercado. E, assim como os usuários dos tablets, os usuários satisfeitos do MacBook Air sabem que não precisam levar tantos dados assim sempre com eles, e complementam o SSD (quando necessário) com o uso de recursos externos de armazenamento, como pen drives, HDs externos ou serviços on-line como o Dropbox e o iCloud.

Mas o tamanho reduzido não quer dizer que eles ficam sem opções de expansão. Acima você vê os conectores do lado esquerdo dos 2 MacBook Air analisados neste artigo: MagSafe 2 (para a fonte de alimentação), USB 3 e fone de ouvido (mais o microfone embutido). No lado direito, eles têm ainda uma porta Thunderbolt e mais uma porta USB 3, e o modelo de 13 polegadas conta ainda com um conector para cartões SD.

Para completar, a bateria dele oferece oficialmente autonomia de 5 horas (11 polegadas) ou 7 horas (13 polegadas) de navegação WiFi com a tela a 50% de brilho. Mas a rapidez que o SSD proporciona para que ele volte ao ar após adormecer para poupar energia torna bastante conveniente “esticar” bastante estas horas deixando que o Mac descanse automaticamente sempre que detectar a ausência de movimento de sua parte por alguns minutos – e a duração prometida da carga da bateria do Air quando adormecido é de 30 dias.

Já o MacBook Pro de 13 polegadas é a versão básica da linha de notebooks da Apple voltadas a aplicações profissionais, o que se traduz na presença de drive de DVD e de porta de rede cabeada, no processador mais rápido (que não garante desempenho superior para uso geral, como veremos adiante), em espaço para armazenar mais dados e... em um pouco mais de peso e volume.

Os conectores do MacBook Pro de 13 polegadas se concentram no lado esquerdo, que você vê na imagem acima. Note a porta MagSafe (e não MagSafe 2, como no Air) para a fonte de alimentação, a porta de rede local Gigabit, a conexão FireWire 800, a porta Thunderbolt, as 2 portas USB 3, a entrada para o cartão SD, e a entrada e saída de áudio. No lado direito você encontra ainda o drive de DVD e o conector para cabo de segurança Kensington.

Uma diferença entre o Pro e seus primos mais finos é o conector de áudio: o MacBook Pro de 13 polegadas tem um conector integrado (que permite tanto o uso de fones de ouvido quanto o de microfones externos, bem como de conector de áudio digital), enquanto o Air tem apenas saída para fones de ouvido. Mas quem quiser complementar o microfone embutido do Air tem uma alternativa: usar os fones de ouvido do iPhone (ou outros com o mesmo conector), pois o microfone inline deles é compatível com o Air.

Todos os MacBooks analisados aqui hoje (Air e Pro) contam com uma porta Thunderbolt, que permite a conexão a periféricos de alta velocidade (20x mais rápido que portas USB 2.0) e monitores de alta resolução.

Enquanto não começam a se popularizar periféricos interessantes com suporte a Thunderbolt (que já estão surgindo), é bom destacar que o seu conector é compatível com o padrão Mini DisplayPort (das gerações anteriores de MacBooks) e com seus adaptadores VGA, DVI, DisplayPort e HDMI (com até 8 canais de áudio na mesma porta), para usar monitores e projetores externos. Fica a dica: é bom andar com um adaptador de Mini DisplayPort para VGA, DVI ou HDMI sempre na mochila, pois monitores com suporte a Mini DisplayPort ou a Thunderbolt fora das Apple Stores tendem a ser mais raros do que avistar cabeça de bacalhau ou filhotes de pombo ;-)

Os teclados (retroiluminados quando o ambiente fica escuro) e trackpads de todos os modelos hoje analisados são similarmente confortáveis. E todos os modelos de MacBook lançados em 2012 vêm com o sistema operacional OS X Lion e o direito a atualizar gratuitamente (via Internet) para o OS X Mountain Lion, cujo lançamento está previsto para o próximo trimestre. Além disso, eles vêm com o pacote iLife, incluindo os aplicativos iPhoto, iMovie e GarageBand.

MacBook: aspectos técnicos e diferenças entre os modelos

Uma diferença essencial entre as linhas de MacBook é que o versátil MacBook Pro é oferecido primariamente para o uso profissional (criação de conteúdo, vídeo/áudio e gráficos, desenvolvimento de software, etc.) e o levíssimo MacBook Air é voltado aos chamados usuários finais (consumo de conteúdo, navegação, comunicação, processamento de texto, etc.).

Entretanto esta distinção leva a um engano comum: o de que necessariamente um MacBook Pro tem mais desempenho que um MacBook Air. Não é verdade, e depois veremos detalhadamente a razão pela qual os 2 modelos de MacBook Air analisados aqui deixam o seu primo MacBook Pro de 13 polegadas para trás em desempenho geral (dica: tem a ver com a tecnologia de armazenamento, pois este Pro ainda usa disco rígido (HD) tradicional, e não o SSD da linha Air), e quais as exceções a esta situação.

Mas antes de falar do desempenho, vamos tratar das características técnicas dos 3 modelos, começando pela tabela abaixo, que sintetiza as diferenças entre eles conforme as especificações oficiais, e destaca quais modelos levam vantagem em cada categoria:

Como você pode ver, estamos tratando basicamente de 3 modelos de MacBook aqui:

  1. MacBook Air de 11 polegadas e 64GB de armazenamento SSD com 4GB de RAM (R$ 3699)
  2. MacBook Air de 13 polegadas e 128GB de armazenamento SSD com 4GB de RAM (R$ 4999, fora da nossa faixa de recomendações)
  3. MacBook Pro de 13 polegadas e 500GB de armazenamento HDD com 4GB de RAM (R$ 3999)

As especificações deles têm muitos pontos de igualdade: a mesma disponibilidade de RAM, a mesma GPU ("placa de vídeo"), a mesma câmera, suporte a rede sem fio WiFi-N e Bluetooth 4.0, as mesmas portas USB 3.0 e Thunderbolt, iluminação no teclado, multitouch ativo no TouchPad e versão do sistema operacional, por exemplo.

Mas os 3 modelos têm algumas vantagens de especificação em relação aos outros 2. Vamos a uma síntese delas:

  1. MacBook Air de 11 polegadas/64GB: é o mais leve (1,08kg, perto da metade do peso do Pro), ganha do MacBook Pro no teste de desempenho SpeedMark, e é o que custa menos (R$ 300 a menos que o Pro).
  2. MacBook Air de 13 polegadas/128GB: está fora da nossa faixa de preços, mas é o campeão de desempenho de uso geral (score 201 no teste SpeedMark feito nos laboratórios da MacWorld), sua tela é superior (embora tenha as mesmas dimensões da tela do Pro, tem maior resolução: 1440x900), e o armazenamento SSD de 128GB alia o dobro do espaço do Air de 11 a uma velocidade de acesso muito à frente do Pro de 13.
  3. MacBook Pro de 13 polegadas/500GB: tem o processador mais rápido (i5 de 2,5GHz com Turbo boost de até 3,1GHz), é o único com drive de CD/DVD, porta para rede local com fio (Ethernet), entrada de áudio e saída de áudio digital (no mesmo conector da analógica compatível com fone de ouvido) e slot para cabo com trava de segurança Kensington, para fixá-lo à mobília.

Além disso, os 2 modelos de 13 polegadas (Air e Pro) compartilham entre si algumas vantagens em relação ao Air de 11 polegadas: a bateria deles dura 7h no teste da Apple (navegação Wi-Fi usando a tela com 50% de brilho), e eles têm slot para cartão SD .

MacBook: Comparando o desempenho entre os modelos

Com os dados vistos acima, já podemos extrair algumas decisões. Nos casos em que os critérios Peso, Preço e Desempenho Geral tenham importância absoluta, a vantagem é do Air de 11 polegadas. Quando a necessidade de suporte interno a DVD, cabo de rede local ou armazenar mais do que 128GB sem expansões é imperativa, quem ganha é o Pro.

Mas na maioria dos casos os ingredientes acima são avaliados em conjunto com um tempero essencial: o desempenho específico, geralmente medido pelo tempo que determinadas tarefas de interesse de cada usuário levam para ser concluídas em cada equipamento.

Geralmente o desempenho para uso local é afetado por 2 fatores principais: a capacidade de processamento (em que a CPU mais rápida do Pro lhe dá alguma vantagem) e a velocidade de leitura/escrita em disco (em que a tecnologia de armazenamento SSD da linha Air sai ganhando).

Para permitir avaliar na prática o desempenho de vários modelos, os laboratórios da MacWorld desenvolveram um teste ("benchmark") chamado SpeedMark, que realiza em condições pré-definidas uma série de operações da vida real (copiar um arquivo, converter um vídeo, compactar uma pasta, rodar determinados aplicativos, jogar uma fase de um jogo 3D, etc.) e normaliza os resultados.

Já vimos acima que o MacBook Air de 13 polegadas (que está fora da nossa faixa de preço) é o campeão no score geral do SpeedMark entre os modelos hoje analisados, mas esta é uma situação em que só a conclusão final do teste não basta: pode ser necessário ver os resultados das provas individuais.

Para facilitar, preparei a tabela a seguir, com os resultados de cada uma das avaliações para os 3 modelos testados, destacando em azul o vencedor e em vermelho o pior resultado de cada uma delas.

Sobre os testes de desempenho de modo geral, 3 conclusões rápidas sobre cada modelo:

  1. MacBook Air de 11 polegadas/64GB: Note que embora ele não seja o campeão de nenhuma das provas, nas provas que dependem da velocidade de gravação/leitura dos dados armazenados, ele fica de modo geral em segundo lugar e bem à frente do Pro, o que garante a ele o segundo lugar geral.
  2. MacBook Pro de 13 polegadas/512GB: Apesar de ser o vencedor das provas que dependem da velocidade de processamento, ele fica em terceiro lugar geral no teste porque o seu armazenamento baseado em HD mecânico tradicional (que lhe dá a vantagem de armazenar muito mais dados que o Air de 11) é tão mais lento que o SSD da linha Air a ponto de deixá-lo no último lugar em praticamente todos os testes que não venceu.
  3. MacBook Air de 13 polegadas/128GB: embora esteja fora da nossa faixa de preço, é o campeão de desempenho no teste, por aliar um processador suficientemente rápido e uma tecnologia de armazenamento bem mais rápida, que o fazem ganhar todas as provas que dependem mais do disco, e ficar em segundo lugar em quase todas as que dependem do processamento.

Se o preço do MacBook Air de 13 polegadas continuasse na nossa faixa de escolha, a conclusão em seu favor seria evidente, mas lamentavelmente não é mais o caso, e o MacBook Air de 11 polegadas "herda" seu lugar de escolha default.

Mas para optar com base no desempenho específico, a tabela acima oferece critérios que podem justificar a opção alternativa: você pode querer usar o computador principalmente para fazer renderização de cenas 3D ou processamento matemático, por exemplo, e aí identificar que são situações em que o MacBook Pro tem vantagem considerável no desempenho.

Por que comprar um MacBook?

Este artigo é voltado às pessoas que já decidiram que querem rodar o Mac OS X em seus notebooks, e que preferem fazê-lo em um equipamento original da Apple.

Há muitas outras alternativas disponíveis: pode-se obter um laptop muuuuuito mais barato, e com várias funcionalidades comparáveis, ao se optar por outro sistema operacional, como o Ubuntu por exemplo. Pode-se também seguir alguma das receitas que explicam como criar um assim chamado “Hackintosh” – o Mac OS X instalado em um computador não homologado pelos autores do sistema.

E há inclusive argumentos *contra* a compra de um Mac: é bem mais caro do que a média dos computadores do varejo, só tem duas portas USB, suas políticas de restrição de direitos não são admiradas, ele pode não rodar algum software que você atualmente usa em outro sistema, etc. Recomendo que, antes de fazer sua compra, você os considere e procure saber mais a respeito.

Mas vale lembrar que também há motivos a favor da compra, que também não vou procurar esgotar.

Renovo, portanto, o lembrete: faça a sua escolha racionalmente, e procure identificar os prós e contras de cada alternativa. É possível que o Mac seja uma boa escolha para o seu caso, mas também é possível que você possa encontrar uma alternativa que resolva as suas demandas a um custo bastante inferior.

Qual MacBook comprar: a conclusão

Em conclusão ao exposto acima, eis a recomendação geral do BR-Mac, baseada na observação contínua da evolução dos MacBooks, sobre como escolher o MacBook ideal para você, considerando apenas os modelos de entrada (ou seja, abaixo de R$ 4.000,00):

  1. Quem sempre demanda tarefas que exigem muito processamento (matemática avançada, projetos complexos de arquitetura e engenharia, compilação frequente de grandes programas, renderização 3D, produção multimídia intensiva, etc.) deve preferir o MacBook Pro de 13 polegadas. O mesmo vale para quem exige mais do que 128GB de armazenamento sem precisar de expansão, ou um drive de DVD e porta de rede cabeada internos, tela maior, 2h a mais de duração de bateria ou ainda uma entrada de áudio, saída de áudio digital ou porta FireWire incorporadas.
  2. Em todos os demais casos, especialmente quando o desempenho de uso geral, o peso, o custo ou o tamanho físico forem o critério essencial, o MacBook Air de 11 polegadas e 64GB de armazenamento é a primeira escolha. Ele é leve, a bateria dura o suficiente (oficialmente 5h), e ele ganha confortavelmente do Pro em desempenho geral.

Lamentavelmente o novo preço de quase R$ 5.000,00 não permite continuar incluindo o MacBook Air de 13 polegadas entre as escolhas recomendadas pelo BR-Mac.

Os detalhes sobre as razões e as exceções podem ser encontradas no texto acima, bem como os critérios que podem ajudar você a fazer a escolha certa considerando as suas próprias necessidades e interesses!

Comentar

Comentários arquivados

Artigos recentes: