Upgrade de memória de um Mac Mini 2009: relato de usuário satisfeito

 
Pelo autor convidado Marcelo M. Valença

Há algum tempo, minha esposa notou que o seu Mac Mini (modelo late 2009, 2 GB RAM e rodando o Lion) estava lento, levando tempo demais para abrir programas simples e navegar na internet. Como ela usa bastante o computador para trabalho e estudo, mas não precisa de recursos avançados, o Mini servia e sobrava. Mas, desde o upgrade para o Lion, tudo mudou. Qualquer clique levava à maldita bolinha que rodava, rodava e rodava e tornava o que era uma excelente experiência em um desejo assassino por espancar o computador.

[Leia também: Mac mini conectado à TV: funciona bem ou não? Veja o resultado dos testes]

Racionalmente, ficou evidente que o Lion exigia demais do bichinho. O Mac Mini 2009 dela, na configuração original, não dá vazão aos recursos do novo OS e algo precisava ser feito. Esse algo era ou a troca do computador ou o downgrade para o Snow Leopard. Como sou teimoso – e a grana para trocar de computador estava curta –, resolvi explorar opções para manter o Lion e melhorar o desempenho.

Primeiro, limpeza de software e HD, removendo arquivos e o cache do login. Sem resultados. Rodei o ScanMyMac e nada. Se teve melhoria, foi mínima.

Daí lembrei dos meus tempos de Windows e da constante necessidade de atualização do hardware. Decidi que a via física era a solução: mais precisamente, aumentar a memória RAM do Mac Mini, saindo dos 2GB básicos para algo mais robusto. E, pelo que ouvia, a tarefa seria moleza, dava para fazer em casa, sem qualquer problema. O mantra "Procure um tutorial no youtube" mais do que nunca se tornou uma constante.

Resolvi tirar o dia para pesquisar preços, informações, tutoriais e opções para, então, por a mão na massa. Percebi que duas questões eram fundamentais para esse upgrade. A primeira era a quantidade de memória a ser colocada e a segunda, a forma como eu ia fazer.

Mas são 4GB ou 8GB no máximo?

De acordo com informações oficiais da Apple, o máximo de RAM que o Mac Mini late 2009 recebe são 4GB. Seria um aumento de 100% em relação ao que tínhamos antes, o que já daria uma bela diferença de desempenho.

Mas ao mesmo tempo via informações (rumores?) de que conseguiria colocar 8GB sem qualquer problema - só que, neste caso, a Apple não dá suporte. Como a garantia já tinha vencido há bastante tempo, ela não seria um problema (e, imagino que isso seja semelhante para todo mundo, a menos que tenha comprado o AppleCare).

Desde o início, a discussão sobre o máximo de RAM que o Mini 2009 aguenta é bastante intensa. E, até pelo lançamento de novos modelos, ela se tornou confusa ao longo dos anos e pouco se refere ao Lion (e ao Snow Leopard).

Li um número bastante razoável de relatos dizendo que a combinação Leopard + 8GB era plenamente funcional, exceto quando diversos programas rodassem ao mesmo tempo: quando a demanda por memória superasse os 4GB, o computador ficaria muito lento. Um ou outro afirmava que o Leopard ainda não rodava bem, mas que a partir do Snow Leopard o processo era mais estável, desde que se mantivesse o pareamento de memórias iguais. Dúvidas, dúvidas.

Nos fóruns de suporte da Apple, vários usuários relatavam experiências de sucesso, mas eu ainda não estava convencido. Havia decidido ficar nos 4GB quando vi estes posts do OWC e do macminicolo.net. Não só o Mini sob Snow Leopard (e Lion) suportava os 8GB, como o Leopard, desde que atualizado com o firmware 1.2, também o fazia.

Conferi as configurações do computador, mais uma vez, para garantir e vi que eu estava com a máquina pronta para os 8GB. Modelo late 2009 (3,1) e firmware 1.2 instalado. Fiz um backup do HD pelo Time Machine e rodei mais uma vez o backup online pelo CrashPlan só por garantia (afinal, vou mexer dentro da máquina, vai que dá problema?) e passei à segunda parte da empreitada: a instalação.

Instalando a memória no Mac – do jeito fácil

Voltei ao post oficial da Apple para buscar o modelo de memória certinho que o computador aceita (DDR3 1066MHZ, PC3-8500) e aprender o tal tutorial. Afinal, montei PCs durante quase 10 anos e eu mesmo fiz o upgrade da memória do meu MacBook White (early 2009).

E, com tutoriais em vídeo no Youtube me mostrando o passo a passo, qual dificuldade eu teria? Isso seria mole!

Não, não seria.

Diferentemente de outros upgrades de computadores da Apple, havia um aviso desaconselhando o upgrade de peças do Mini 2009 em casa e sugerindo recorrer a uma autorizada para isso. Mais uma vez, fui investigar e descobri que concordo que abrir o Mini 2009 é algo que não deve ser feito em casa. O processo, apesar de intuitivo, não é simples e demanda muito cuidado, mesmo se você tem prática com montagem de computadores.

O Mac Mini 2009 não é uma máquina simples, nem se abre facilmente. Todos aqueles tutoriais na internet (eles existem de fato e fazem tudo parecer tão simples...) esquecem de dizer que a disposição das peças do Mac Mini neste modelo é bastante peculiar.

Para mexer na memória, você precisa literalmente desmontar todo o computador e depois remontá-lo - sem contar que para abrir a carcaça é preciso umar uma alavanca para soltar os clips internos. Este tutorial da OWC é, ao mesmo tempo, ilustrativo e serve como alerta para que você não se aventure nessa missão. De novo, pessoalmente não recomendo aventurar-se nessa empreitada.

Levei o computador em uma loja aqui do Rio de Janeiro [nota do editor: o Marcelo me contou que a loja em questão foi a Made4You, no Leme, e foi nota 10] e eles fizeram o upgrade para mim, sem qualquer custo. No total, o processo levou uns 35 minutos. O técnico fez questão de testar a máquina na minha frente (afinal, teve de desplugar wi-fi, bluetooth e cia) e tudo rodou redondo de primeira, menos o áudio.

Ele se desculpou, dizendo que, ao recolocar a carcaça do Mini, algum cabinho poderia ter se desplugado. Verificou e não deu outra: após recolocar o cabo, tudo ficou funcionando. Apesar de ter feito com cuidado, na hora de encaixar o corpo do Mini, o balanço pode soltar alguma parte e você se vê obrigado a abrir tudo de novo.

O resultado: tudo mais rápido

Quando cheguei em casa e colocamos o computador em uso, o aumento de desempenho foi notável. O boot é bem rápido, os programas e arquivos abrem sem problemas e a experiência de uso do computador melhorou absurdamente.

Obviamente, a máquina ainda tem um processador mais lento e o HD tem suas limitações. Porém, uma troca relativamente barata de peças (aumentamos de 2 para 8GB pagando R$400 pelas peças) proporcionou o aumento da vida útil do Mini. Relação custo/benefício totalmente válida.

Minha próxima ousadia será comprar um SSD e aumentar a velocidade de leitura dos arquivos. Já comecei a pesquisar na internet e, assim que a grana permitir, será o próximo passo.

Aliás, cabe o aviso: procure com calma as peças que você precisa, seja HD, memória ou o que for. Achei diferenças de quase 300% no preço dos pentes, principalmente quando falava que era para colocar em um Mini.

Muita gente ainda tem essa coisa de cobrar mais pelos produtos da Apple e se esquecem de que muito do hardware é amplamente compatível entre PCs e Macs.

O BR-Mac agradece ao autor convidado Marcelo M. Valença e espera que ele volte a escrever quando fizer o upgrade do SSD ツ
 

Atualização: o leitor Giovanni Degani entrou em contato via @brmacblog para indicar esta tabela de capacidade real de memória de todos os Macs, segundo seus autores. Alerta: ela frequentemente excede a capacidade oficial suportada pela Apple.

Leia também:

Comentar

Comentários arquivados

Artigos recentes: