iPad de 4ª geração e mini, novos Macs, iBooks renovado: os destaques do evento de hoje

A surpresa da 4ª geração do iPad, a confirmação do iPad mini, das novidades na iBookstore, alguns novos cabos e acessórios, novos Macs e a atenção especial ao mercado educacional foram as principais novidades do evento de hoje.

O lançamento inesperado, ao menos para mim, foi a 4ª geração do iPad, sucedendo desde já o "Novo iPad" lançado há poucos meses, agora com CPU mais rápida, maior processamento gráfico, suporte a 4G em mais países e operadoras, tela Retina, câmera frontal melhor, e o mesmo preço do anterior. Chega às lojas no início de novembro, junto com o iPad mini.

Quanto ao aguardado iPad mini – ao menos no que diz respeito ao hardware – foi o esperado: 7,2mm de profundidade, 308 gramas, a tela está mais próxima de 8 polegadas do que de 7 (que eu acharia pequena demais), a moldura é um pouco mais estreita para facilitar a operação, o conector é o mesmo do iPhone 5, a resolução é a mesma do iPad 2, os componentes internos são "iguais ou melhores que os do iPad 2" (com algumas vantagens, incluindo na conectividade - Lightning, WiFi e mais - e na câmera traseira de 5MP), e o preço (começa em US$ 329) distante dos concorrentes de US$ 200 (cuja tela é consideravelmente menor, e mesmo assim é mais pesado e mais grosso que o iPad mini), mas abaixo do iPad 2, que continua no mercado.

Aguardo para ver os preços e disponibilidade no Brasil, mas para o mercado dos EUA acredito que logo começaremos a ver ainda mais notícias de escolas adotando e disponibilizando material escolar na forma de apps do iPad e conteúdos da iBookstore.

O suporte a isso em termos de sistemas foi muito bem-vindo, incluindo o novo iBooks (sem menção à venda de livros no Brasil, que finalmente começou) e o iBooks Author renovado (grátis, disponível para download desde hoje) para produzir conteúdo também para o iPad pequenino, e com recursos antes ausentes, como suporte direto a expressões matemáticas, interatividade multitoque via widgets, e atualização simplificada dos livros.

O novo MacBook Pro de 13 polegadas, à venda hoje nos EUA com tela Retina, saída HDMI, armazenamento SSD, 2 portas Thunderbolt e 2 portas USB 3.0 (e CPU i5 ou i7) é um pouco menos desinteressante para mim do que o seu irmão maior (e mais velho) de 15 polegadas anunciado há poucos meses, mas em linhas gerais eu penso sobre ele o que já pensava sobre o de 15: ótimo começo e demonstrativo do que está por vir, mas aguardo para ver os modelos 2013 e o que acontecerá com a oferta de diferenciais em termos de apps e conteúdo (que já começou a aparecer com mais força).

Já dos novos modelos de Mac mini incorporando as tecnologias dos MacBooks mais recentes, incluindo Thunderbolt, USB 3 e os processadores i5 e i7, eu gostei bastante – talvez faça upgrade do meu, e já anotei na agenda para atualizar meu artigo sobre o Mac mini.

O mesmo vale, ainda que parcialmente, para os novos modelos de iMac, que chegam às lojas em novembro e dezembro, com só 5mm de profundidade, 4x USB3, 2x Thunderbolt e uma tela impressionante: 2560 x 1440 ou 1920 x 1080 (e sem drive de DVD). Achei simpáticos, a atualização era necessária, mas para mim não chega a justificar upgrade. É uma excelente notícia para quem estava pensando em pedir um para o Papai Noel, entretanto!

Em ambos (Mac mini e iMac), agora temos a opção de HD híbrido (SSD e HD no mesmo volume), com o nome de "Fusion Drive", apresentado com 128GB de SSD, mais HD com 1 ou 3TB.

Um ponto que me chamou a atenção foi que a cada produto anunciado, as certificações ambientais, a reciclabilidade e a atenção à economia de energia eram destacados. O Mac mini continua sendo o computador desktop mais eficiente em termos de consumo de energia no mercado, inclusive.

De modo geral, a minha atenção ficou mais concentrada na estrela aguardada para a festa (o novo iPad pequenino), mesmo com a surpresa do iPad de 4ª geração, e o produto anunciado que mais me interessa como consumidor é o novo Mac mini ツ

Comentar

Comentários arquivados

Artigos recentes: