Os números do Mac e do iOS no início de 2011

Começar um blog leva a pensar em como ele estará em alguns meses ou alguns anos, portanto eis um bom primeiro ponto a registrar para a posteridade e permitir que no futuro as coisas sejam colocadas em perspectiva: os números do Mac e iOS.

Desde a época em que o Firefox 1.0 iniciou sua arrancada vitoriosa que o levou a conquistar quase 1/4 do mercado de navegadores, a pesquisa mensal da NetApplications (hoje NetMarketShare) é a fonte dos números que uso para acompanhar a evolução da fatia de mercado dos navegadores e sistemas operacionais usados pelos míticos "usuários finais" - representados, neste caso, pelos usuários da web.

A tabela acima, obtida no site da NetMarketShare, mostra os números dos últimos 11 meses (03/2010 a 01/2011) no mercado de sistemas operacionais, e é fácil perceber que enquanto os sistemas para dispositivos móveis (iOS, JME e "outros") cresceram, todos os sistemas operacionais tradicionais da tabela tiveram sua participação reduzida no período.

Entre todos os sistemas operacionais, o iOS, que roda nos iPhones e iPads, é o único que teve ganho considerável no período (sua fatia no mercado começou como a menor de todas, mas mais do que dobrou no período, e agora, com 2,05% é maior do que a soma dos 2 competidores mais próximos).

Já o Mac (agora com 5,25%), assim como todos os demais sistemas desktop, encolheu - mas a fatia que ele perdeu (que em termos absolutos foi igual à do Linux: 0,08 pontos percentuais) foi a de menor proporção: a perda foi de 1,50% em relação ao valor inicial (a do Windows foi de 2,05%).

Vale observar, embora seja uma situação de prazo muito curto para já ser visto como tendência, que o Mac OS X está em crescimento constante desde outubro de 2010, e que o ganho entre dezembro e janeiro foi suficiente para quase anular as perdas do primeiro semestre do ano anterior.

Quanto aos navegadores, já registrei minhas observações no BR-Linux, mas em benefício de pesquisas futuras, registro: janeiro de 2011 foi o mês em que o crescimento do Chrome o levou pela primeira vez aos 2 dígitos: 10,70%. O Safari, que usa o mesmo engine, continua sua série de crescimento ininterrupto e registra 6,30%.

Firefox continua sua leve tendência de queda, mas continua a reter 22,75%, e o Internet Explorer, em forte tendência (ininterrupta) de queda, tem 56%.

Comentar

Comentários arquivados

Artigos recentes: