Editor de textos para Mac: BBEdit 10.1.2

Saiu a versão 10.1.2 do editor de textos BBEdit, que hoje considero o melhor editor de textos do meu Mac.

Eu usei durante muito tempo o TextWrangler, que é o irmão menor (e gratuito) do BBEdit, mas os recursos dele me acrescentam tanta produtividade que acabei achando justo pagar o preço do BBEdit, que não é dos mais baratos, porque os desenvolvedores merecem.

E a mesma razão justifica este post sobre uma atualização menor: a versão 10.1.2 do BBEdit nem traz grandes novidades em sua lista de recursos: são só correções de bugs, refinamentos e algumas evoluções de pequena monta.

Mas o BBEdit é tão bom (assim como o seu irmão menor e gratuito TextWrangler) que merece a menção, e vou me esforçar para lembrar de qualquer dia desses compartilhar com vocês alguns dos AppleScripts que fiz para complementá-los.

E para quem ainda não os conhece, descrevo brevemente: ambos têm aquela que para mim é a característica essencial de um editor de textos em ambientes gráficos: ao abrir o programa, ele RAPIDAMENTE exibe uma tela vazia na qual, se desejar, o usuário pode começar imediatamente a compor seu texto, sem usar nenhum menu ou comando, até chegar a hora de gravar – e a forma de gravar é a convencional, ⌘+S ou pelo menu File, sem ter de adivinhar nada.

Para editar textos comuns, como o deste post, não é preciso ir muito além disso mas no caso dos programadores, administradores de sistemas e outros profissionais da informática, eles tem uma série de vantagens adicionais.

O caro BBEdit, naturalmente, preserva alguns diferenciais que não são compartilhados com seu irmão gratuito: manipulação programável de texto com Text Factories, agrupamento de arquivos em Projetos, Clipping, controle integrado de fontes, entre outros.

E ambos compartilham entre si uma série de outros recursos interessantes, como:

  • Busca avançada, com suporte a manipulação do texto via expressões regulares (PCRE)
  • Comparação de documentos
  • Suporte a edição de grande variedade de linguagens de marcação e programação
  • Ferramentas para transformações comuns, como a remoção imediata de caracteres estranhos (“zap gremlins”) de arquivos parcialmente corrompidos, conversão para maiúsculas e vice-versa, tabular, indent, inserir prefixos ou sufixos nas linhas, ordená-las, etc.
  • Suporte extensivo e em grande parte automatizado a bom número de padrões de caracteres – se o seu parceiro de equipe lhe enviar um texto em UTF-8, Latin-1, ISO-8859-1 ou qualquer que seja o default do sistema operacional que ele usa, você pode ajustar o editor, e só na hora de gravar você precisará parar para pensar de novo se mantém o padrão original ou muda para o seu próprio padrão (e o mesmo vale para os caracteres de final de linha!)
  • Níveis ilimitados de undo e redo
  • Colorização de sintaxe de linguagens de programação e de marcação
  • Extensibilidade via AppleScripts e shell scripts
  • E muito, muito mais.

Recomendo!

Comentar

Comentários arquivados

Artigos recentes: