TextWrangler: o melhor editor de textos do meu Mac

Pesquisa realizada entre os usuários do Mac aqui do meu home office concluiu: 100% da amostra (eu) considera o gratuito TextWrangler a melhor opção de editor de textos disponível nele para editar textos do dia-a-dia e pequenos trechos de código.

Todos sabemos que quem encontra um editor de texto que lhe agrade, frequentemente se aferra a ele com unhas e dentes e não admite a possibilidade de avaliar outro.

Não é meu caso: sou eclético quanto a editores de texto, me viro bem com o vim, uso sem sustos os comandos básicos do Emacs, já escrevi vários artigos e trabalhos de aula usando o bloco de notas do Windows (transferindo para um processador de textos como o Pages, Writer ou Word só para formatar o texto final), e conheci ferramentas especializadas capazes de cuidar da estrutura do texto, apoiar a pesquisa, promover as condições para a inspiração, e esconder todas as distrações da tela.

Gosto de todos, e uso algum deles sempre que é a alternativa mais à mão para o que quero fazer. Mas hoje, na prática, boa parte do meu dia-a-dia é escrever, e preciso de uma ferramenta que, além de me oferecer os recursos essenciais, não fique no meu caminho. E estes recursos essenciais nem são muitos: como estudante eu ainda peguei o final da era de ouro das máquinas de escrever, e gastei muitas fitas de uma portátil Lettera 22 como a da foto acima - assim até o minimalista bloco de notas do Windows 95 reunia boa parte do que eu valorizo em um editor de textos.

Afinal, embora às vezes eu precise do luxo de uma tela inteiramente dedicada ao editor de textos, o usual é ele ficar no cantinho dele para me permitir ter material de referência à vista, redes sociais e comunicação acessíveis, e o que mais eu esteja fazendo, pois tudo isso está incorporado ao meu processo produtivo e, se não estiver adequado ao momento, eu mesmo desativo - quando estou no meu próprio escritório, geralmente não preciso que o editor lide com isso por mim.

Entra em cena o TextWrangler

já faz mais de 1 ano que adotei o TextWrangler, oferta gratuita da Bare Bones Software, que também oferece comercialmente uma versão incrementada dele, o BBEdit.

O TextWrangler tem aquela que para mim é a característica essencial de um editor de textos em ambientes gráficos: ao abrir o programa, ele RAPIDAMENTE exibe uma tela vazia na qual, se desejar, o usuário pode começar imediatamente a compor seu texto, sem usar nenhum menu ou comando, até chegar a hora de gravar - e a forma de gravar é a convencional, ⌘+S ou pelo menu File, sem ter de adivinhar nada.

Mas não é só isso que ele faz. Navegando pelos menus é fácil de entender por que ele se posiciona como um editor de uso geral para autores, programadores, administradores de sistemas. Entre seus recursos que eu mais uso estão:

  • Busca avançada, com suporte a manipulação do texto via expressões regulares (PCRE)
  • Comparação de documentos
  • Suporte a edição de grande variedade de linguagens de marcação e programação
  • Ferramentas para transformações comuns, como a remoção imediata de caracteres estranhos ("zap gremlins") de arquivos parcialmente corrompidos, conversão para maiúsculas e vice-versa, tabular, indent, inserir prefixos ou sufixos nas linhas, ordená-las, etc.
  • Suporte extensivo e em grande parte automatizado a bom número de padrões de caracteres - se o seu parceiro de equipe lhe enviar um texto em UTF-8, Latin-1, ISO-8859-1 ou qualquer que seja o default do sistema operacional que ele usa, você pode ajustar o editor, e só na hora de gravar você precisará parar para pensar de novo se mantém o padrão original ou muda para o seu próprio padrão (e o mesmo vale para os caracteres de final de linha!)
  • Níveis ilimitados de undo e redo
  • Verificação ortográfica
  • Múltiplas clipboards
  • Capricho na integração ao ambiente do Mac OS X
  • e mais! (incluindo o atalho edit definido automaticamente como cortesia para os fãs do Terminal ;-)

Interface orientada para a produtividade

Editores de texto visuais têm algumas características em comum, e diferenciais que acabam formando e mantendo a preferência de seus usuários. No caso do TextWrangler, embora a janela de Preferências do programa seja enorme, todas as que uso no dia-a-dia estão também disponíveis em uma janelinha acessível por um botão na barra de ferramentas, como você pode ver a seguir:

Está tudo ali: quebrar ou não (visualmente, e não no arquivo) as linhas para que caibam horizontalmente na janela, mostrar ou não o indicador do limite lateral de tamanho de página, mostrar ou não indicadores dos tabs, exibir ou não a régua vertical (número de linhas), exibir ou não a calha à esquerda (muito útil ao editar código), mostrar ou não símbolos dos caracteres invisíveis (Enter, Tab, etc.), usar aspas de tipógrafo (e não as de programador) e expandir Tabs.

Mas a barra de ferramentas tem mais utilidades. Por exemplo:

  • o botão azul de informações abre uma janela com a contagem de caracteres, palavras e linhas do texto que estiver selecionado (e do arquivo completo também), além de um campo copiável contendo o path completo do documento que está em edição.
  • O botão em formato de documento exibe no Finder o arquivo que está em edição.
  • Clicando no nome do campo que exibe o path do arquivo em edição, aparecem opções para copiar o path, copiar o path completo, copiar só o nome do arquivo, ou copiar uma URL local correspondente ao arquivo.
  • O botão na extremidade direita da barra de ferramentas, com uma seta apontando para a direita, abre uma gaveta mostrando todos os documentos que estão em edição, facilitando pular entre eles.

A barra inferior também brilha pela utilidade: indica a linha e coluna correntes, permite alternar entre os diversos modos de realce de sintaxe (na tela acima o editor está realçando as tags HTML), exibe e permite alterar a codificação de caracteres e de terminação de linha, e ainda oferece uma contagem atualizada de caracteres, palavras e linhas do texto que estiver aberto.

Mal arranhamos a superfície

Não dá para apresentar todos os recursos de um editor de textos em um post de meras 1000 palavras, mas você pode ir diretamente nos links dos pontos fortes do TextWrangler casos de uso que lhe interessarem:

Além disso tudo, tem a questão da documentação caprichada, da estabilidade muito bem demonstrada, e do desempenho, especialmente na hora de abrir o programa.

Agora é a vez de vocês: podem comentar à vontade me esclarecendo que bom mesmo é o editor que vocês preferem ;-)

Comentar

Comentários arquivados

Artigos recentes: