Como organizar as músicas no iTunes - na prática

O leitor Henrique Paiva enviou por e-mail um apanhado de questões, que eu numerei para maior conveniência na hora de responder:

(...) Ainda não me convenci sobre a utilidade do iTunes e olha que eu forço a barra para que ele gerencie as minhas músicas e filmes. [1] Eu gostaria de classificar os gêneros das músicas por minha própria vontade, pois ele é ótimo para as músicas pop americanas, mas para o tipo de música que eu ouço, as classificações são péssimas. Hamilton de Holanda e Yamandu Costa são latins??? [2] Eu já aprendi como retirar as músicas do diretório do iTunes e colocar na minha pasta de músicas, mas eu gostaria de zerar a minha biblioteca do iTunes e reinserir as músicas segundo os critérios da minha organização. [3] É possível alterar os metadados das músicas? Ou seja, [4] é possível atribuir uma capa que eu porventura ache no Google Imagens, por exemplo? Ou modificar o gênero para que eu classifique a música e não o iTunes? Ou modificar o nome do artista para que um acento ou uma letra maiúscula ou mais um sobrenome não faça Maria Bethânia virar 6 artistas diferentes para o iTunes? Esses metadados seriam modificados no iTunes, no Finder, no Terminal ou precisa de um programa próprio para isso?

São questões simples, mas tenho recebido diversas variações delas por e-mail, portanto vamos a uma breve introdução não apenas sobre como operar o iTunes para isso, mas também sobre meu método para organizar a coleção de músicas no iTunes.

Em complemento, convidei os leitores do BR-Mac para oferecer suas próprias dicas via Twitter, e as respostas deles podem ser encontradas ao longo do texto.

Editando os dados dos álbuns e músicas

A pergunta [3] do Henrique é a crucial para responder a todas as demais: como editar os dados descritivos das músicas.

E é muito simples: basta selecionar a música, o conjunto de músicas ou o álbum que se deseja editar, e pressionar ⌘+i - ou clicar com o botão direito sobre elas e selecionar "Obter informações" no menu.

Vai aparecer um diálogo mostrando as informações em questão e permitindo que você as edite. Eu recomendo que você sempre preencha (ou corrija) fielmente ao menos estes campos: Artista, Álbum, Gênero (e sim, aqui você pode editar livremente o gênero, como perguntou em [1]!), Ano e Classificação (que é a sua avaliação pessoal sobre o disco, essencial para a composição de melhores playlists automáticas pelo iTunes). Em determinados discos, os campos Artista do Álbum e Parte de uma Coletânea podem se tornar essenciais também.

Mas você pode fazer muito mais, inclusive indo além do básico: no mesmo diálogo dá de escolher um pré-ajuste do equalizador (por exemplo: Acústico, ou Rock, ou Jazz, etc.) adequado a essa música ou disco, dá de mandar ela ser ignorada quando o iTunes estiver em modo aleatório, etc.

Quando terminar, é só pressionar Ok e pronto: seus novos metadados estarão associados às músicas em questão.

Caso especial: a capa do disco

A capa do álbum (pergunta [4]) é editada na mesma interface mencionada acima, de uma maneira fácil mas pouco óbvia na primeira vez: você arrasta um arquivo de imagem, ou uma imagem aberta no seu navegador web, diretamente para o campo apropriado.

Portanto, se o encarte do CD original que você converteu para o iTunes estiver danificado, basta procurar uma imagem da capa no iTunes e arrastá-la para o campo apropriado na interface mencionada acima.

Ou, como resumiu a @kakau, "quando o iTunes não acha a capa de álbum, eu busco no Google o jpg em aproximadamente 500x500, seleciono todas as músicas do album e colo a imagem no campo capa". E o Google não é a única alternativa: o @itsAlexandre também indica o Album Art Exchange.

Álbuns completos X músicas separadas

A experiência do iTunes é projetada tendo em mente a idéia de uma coleção de discos, e não apenas de uma coleção de músicas. Minha sugestão, portanto, é que você busque ter álbuns completos, e não uma colcha de retalhos.

Mas quem começa a organizar uma coleção de músicas geralmente está em uma situação mista: vários discos completos, e também várias músicas prediletas que estão avulsas, resultados de conversões parciais de CDs, ou de faixas adquiridas individualmente.

Minha sugestão é um plano em 2 etapas, sendo que a primeira é simplesmente editar coletivamente os dados dessas músicas avulsas, fazendo com que elas passem a pertencer a uma ou mais coletâneas falsas (por artista, por gênero ou pelo critério que você preferir) - separando-as em cercadinhos à parte, facilitando assim a organização das demais, e permitindo tirar melhor proveito dos recursos do iTunes que são voltados a álbuns.

A segunda etapa do plano é ir, aos poucos, identificando quais as suas músicas preferidas nas coletâneas artificiais que você criou, e adquirir os discos correspondentes (retirando assim o exemplar que estava na coletânea falsa), até sobrar nas coletâneas inventadas apenas as faixas cujo disco correspondente você não desejaria mesmo.

Esta abordagem pode substituir a remoção completa e reimportação mencionada na pergunta [2] - possivelmente com vantagem. Exceto para quem pensa como o @matheusgomesl, que acha mais prático apagar a biblioteca inteira, aí organizar as músicas em pastas do computador e só então reimportar - quem sabe usando a pasta Adicionar Automaticamente ao iTunes, mencionada pelo @BookEatingBoy.

Organizando de fio a pavio

Quando você já tiver uma coleção só com álbuns completos (ainda que alguns deles tenham sido inventados por você), é hora de dar um passo além e empreender o esforço necessário para ter uma coleção organizada.

Se você tiver muitos discos, sugiro que se prepare para fazer várias sessões de organização ao longo da semana com 20 minutos cada uma, mas se a quantidade for razoável, em uma horinha de esforço concentrado dá para resolver tudo de uma vez só.

E o procedimento é simples: é só ir de disco em disco, pressionar ⌘+i e editar as informações gerais, corrigindo título, nome do artista (incluindo as múltiplas grafias da Maria Bethânia que o Henrique comentou em sua pergunta), garantindo que todo álbum tenha uma classificação, etc.

Tendo completas todas as informações de álbuns, a sua experiência com o iTunes já ficará melhor (este é o momento de atualizar o Genius, em Loja > Atualizar o Genius), mas ainda há uma sintonia fina a completar: a classificação individual de cada música.

Isto porque em um mesmo disco podemos ter músicas de gêneros diferentes (imagine os blues e countries em discos de rock dos Rolling Stones), certamente há músicas que você gosta mais e gosta menos (e merecem classificações diferentes) e pode também haver músicas cujo título está escrito errado e precisa ser corrigido.

Minha sugestão é que você use o menu Visualizar > Como Lista de Albuns, para ver as músicas individualmente agrupadas por discos, como mostra a imagem acima - e aí atue diretamente sobre as que precisam de alguma correção, ou de ajustar a classificação para algo acima ou abaixo da classificação dada ao álbum, ou de mudar o gênero.

Complementando

Os passos acima concluem a organização da coleção de músicas no iTunes, e são os que eu uso na prática.

Existe uma série de aplicativos (como o Tagalicious, ou o TuneUp [indicado pelo @MarioRinaldi e pelo @alexrlacerda]) que prometem automatizar parte do processo, analisando sua biblioteca do iTunes e propondo ou realizando modificações a partir de consultas a bancos de dados on-line.

A qualidade dos resultados deles varia, mas as minhas experiências sempre concluíram que vale mais a pena fazer a avaliação manual como mencionada acima - especialmente nos casos em que há música brasileira presente na coleção. Inclusive porque é uma oportunidade de rever, reclassificar e reavaliar músicas que há tempos você não lembrava de ter - ou, como diz o @zehf, "a curadoria humana ainda é a melhor".

Mas há um conjunto de programas que me ajudam bastante nas tarefas de organização da coleção de músicas: os scripts para iTunes, que já analisamos mais detalhadamente em um post anterior.

Com eles dá de remover em lote trechos dos títulos das músicas, encontrar capas de discos automaticamente no Google Imagens, marcar músicas duplicadas, extrair o nome do disco e do artista quando eles constam erroneamente no título da música, e muito mais (o @mauriciogardini também recomenda o script RenameFiles).

Agradeço a todos os leitores que aceitaram o convite para contribuir - inclusive o @higuetari, que enviou uma dica ligeiramente fora do escopo deste post mas mesmo assim interessante o suficiente para merecer o link ツ

Fora isso, conto com vocês para complementarem nos comentários informando que outras dicas, apps de organização, visualizadores que facilitam a classificação e a interface com outros serviços musicais, etc. vocês usam e recomendam!

Leia também: Arejando suas músicas com playlists inteligentes.

Comentar

Comentários arquivados

Artigos recentes: