A lista de apps indispensáveis para o Mac, edição 2012

Uma lista preparada pelo autor do MacStories.net com vários apps que eu uso e também recomendo, mas também com vários que ainda não usei, mas me interessei e certamente vou procurar conhecer!

Como leitor, sou fã dos artigos do Federico Viticci no MacStories.net: ele se estende sobre os temas, trazendo detalhes e análises elaboradas e minuciosas, como no caso deste comparativo de editores de texto para iPad que já havíamos comentado antes por aqui.

A mesma postura pode ser encontrada em seu novo artigo, em que atualiza a sua lista de apps indispensáveis para o Mac: ele não apenas as indica, mas também faz a lista de quais foram removidas desde a lista anterior, quais foram substituídas por outras, compara quantas vêm e quantas não vêm da Mac App Store, quantas são grátis ou não, e mais.

Mas isso deixaremos para quem quiser ir ler o artigo dele (e recomendo!). Por aqui, quero comentar a lista em si, que é interessante e tem alguns pontos que fogem ao lugar-comum.

Entre os apps que já estavam na lista dele em anos anteriores e permanecem, alguns destaques (marquei em verde as que também estão entre as primeiras instalações que faço ao passar a usar um novo Mac):

  • Clipmenu: gerenciador de clipboard (e o autor comenta sobre alternativas)
  • iStat Menus: Informações sobre o sistema exibidas na barra de menu (veja o meu artigo)
  • Evernote: gerenciador de informações, anotações, recortes e mais.
  • The Unarchiver: meu descompactador preferido, suporta todos os formatos de compactação que eu já precisei usar.
  • Alfred: um lançador de aplicações com várias funções adicionais que participa de quase tudo que eu faço no meu Mac (veja meu artigo)
  • 1Password: Gerenciador de senhas
  • Dropbox: para armazenar arquivos online e compartilhá-los entre máquinas ou com outros usuários.
  • Hazel: automatiza várias tarefas de administração do ambiente do seu Mac.
  • Rdio: para ouvir música a partir da Internet.

A lista dele também inclui nomes como Keyboard Maestro, Reeder, Transmit, CloudApp, Airfoil e mais.

Para usuários de longa data, a próxima lista deve interessar mais: é a dos aplicativos recém-adicionados ao rol dos que o autor considera essenciais. Ela inclui:

  • Bartender: cria um submenu agrupando diversos apps que você rode no menu do OS X, para que eles possam permanecer acessíveis mas não ocupem espaço na tela nem desviem a sua atenção.
  • Palua: facilita alternar o comportamento das teclas de função, entre o modo default (funções de controle do ambiente, como alterar o volume ou o brilho da tela) e o tradicional (teclas F1-F12 disponíveis para aplicativos).
  • Sublime Text 2: editor de textos
  • Marked: pré-visualização (com suporte a temas) de textos editados usando o padrão MarkDown

Tem outros itens, mas selecionei os que considerei mais representativos, e pretendo considerar alguns deles para adoção nos meus próprios fluxos de trabalho.

Outra das sub-listas a me atrair a atenção foi a dos aplicativos que antes eram considerados indispensáveis e não são mais (em alguns casos, porque as demandas mudaram, e em outros por mudanças nos aplicativos), que inclui itens como: Sparrow, Little Snitch, iPhone Screentaker e o Tweetie.

Quanto aos demais itens, juntamente com a análise dos relacionamentos entre eles, suas origens e o tempo em que estão incluídos na lista, recomendo a leitura do artigo do Federico: My Must-Have Mac Apps, 2012 Edition.

Comentar

Comentários arquivados

Artigos recentes: