10 anos de Mac OS X, parte final: estreia complicada - e ajuste rápido

Na primeira parte desta série vimos o ambiente e a cadeia de decisões que conduziram à decisão de renovar o Mac OS a partir do NeXTSTEP/OPENSTEP, e na segunda parte acompanhamos como foi o período de incubação: mais de 2 anos nos quais a Apple continuou com o Mac OS 9 no mercado, enquanto nos bastidores criava seu sucessor Mac OS X - cujos detalhes gerais foram mantido em segredo do público (e especialmente da Microsoft).

Nesta terceira e última parte da série lembrando do início do Mac OS X para homenagear seus 10 anos recém-completados, veremos como foi o sucesso do anúncio oficial e o atribulado lançamento do primeiro integrante da série atual do Mac OS X - o 10.0 Cheetah, lançado no início de 2001 e logo corrigido com a chegada do 10.1 Puma poucos meses depois. Veremos também uma breve retrospectiva do que veio depois, e um comentário sobre o que o futuro reserva.

Anúncio surpreendente

Boa parte do que foi descrito acima aconteceu em segredo ao longo de 2 anos, com uma equipe de desenvolvimento de software que chegava perto dos mil integrantes.

A informação de que a Apple estava criando um novo sistema operacional para seus computadores era pública, naturalmente, mas detalhes como a criação de uma nova interface visual eram um segredo até mesmo dentro da companhia, exceto para os diretamente envolvidos.

Além de garantir maior repercussão para o lançamento, o segredo tinha uma razão estratégica: Steve Jobs conhecia bem o modus operandi de seus concorrentes, e não queria a Microsoft "se inspirando" na sua interface antes do anúncio oficial.

E o anúncio finalmente ocorreu no início de 2000, no evento Macworld. Hoje corriqueiras, características da nova interface Aqua do Mac na época eram inéditas em sistemas do mesmo porte: transparências, sombras e animações faziam parte dos detalhes visuais do sistema como um todo e tinham suas funcionalidades bem definidas, embora o sistema conseguisse rodar em todos os equipamentos correntes da empresa na época, com processadores G3 e 8MB de memória de vídeo. O vídeo acima mostra o anúncio inicial feito por Steve Jobs, e os aplausos permitem avaliar melhor como foi a recepção.

Como previsto, a novidade atraiu a atenção de usuários, desenvolvedores, concorrentes, imprensa e mercado, e a partir dali começou a forjar uma nova imagem para os softwares da Apple, que conhecemos até hoje.

A chegada ao mercado: Cheetah e Puma (2000)

A chegada aos Macs dos usuários foi gradual. Houve uma versão beta pública ainda em 2000, feita para disseminar o conhecimento sobre a nova versão e para obter valioso feedback dos usuários que permitiu promover diversas alterações na interface Aqua antes do lançamento da versão 1.0 - ou melhor, 10.0 ;-)

Em março de 2001 foi lançado o Mac OS X 10.0 Cheetah (veja o review "vintage" no Ars Technica), primeira versão oficial pública da linhagem, e ainda longe de satisfazer as expectativas de seus usuários.

O Cheetah, que rodava nos iMacs, PowerBooks e Power Macs G3 e G4 da época, era lento e não tinha ainda todos os componentes planejados para o sistema além de padecer do mal dos novos sistemas: ficou disponível antes de seus principais aplicativos estarem prontos. A estabilidade também não era nota 10, mas isso foi corrigido com algumas atualizações nos meses posteriores.

Algumas características típicas do Mac OS X de hoje já estavam lá, entretanto: a Dock (ainda sem os efeitos 3D), o amplo suporte a PDF, o Terminal, a interface Aqua, as APIs Carbon e Cocoa. E conceitos como multitarefa preemptiva e memória protegida faziam também sua estreia no mundo Mac, graças ao XNU/Darwin/BSD ;-)

As limitações do Cheetah levaram ao lançamento do Mac OS X 10.1 Puma em setembro do mesmo ano, na forma de uma atualização gratuita. A qualidade do Puma convenceu a própria Apple: foi a partir dele que o OS X passou a vir como default nas máquinas da empresa.

O Puma melhorou o desempenho e completou as funcionalidades básicas que ficaram ausentes da versão 10.0 lançada 6 meses antes, incluindo suporte mais simples a gravação de CDs e DVDs (no Finder e no iTunes), exibição de DVDs, 3D mais rápido, melhorias no AppleScript e suporte a mais impressoras, câmeras e scanners.

Primeiros 10 anos

A partir das 2 versões lançadas no primeiro ano, outras 5 versões foram lançadas de 2001 até agora: Jaguar, Panther, Tiger, Leopard e Snow Leopard.

Um caso à parte é o iOS (anteriormente iPhone OS), lançado em 2007. Durante seu primeiro ano de existência pública, a Apple o chamava simplesmente de OS X, afirmando simplesmente (inclusive em documentos oficiais) que o iPhone rodava o OS X. Só em 2008 ele passou a ser chamado de iPhone OS, mas o fato de ser integrante da linhagem do Mac OS X permanece evidente.

O sucesso da estratégia traçada a partir da decisão de reconstruir o Mac OS a partir dos produtos da NeXT pode ser aferido pelo sucesso comercial da Apple na última década, e é interessante perceber a evidente participação de elementos open source (como o GCC, o Mach, o WebKit e o CUPS) neste resultado.

Para os próximos meses estão previstos o lançamento do Mac OS X Lion (10.7) e também do iOS 5.0, e teremos a oportunidade de continuar acompanhando como estas tecnologias vão evoluir nos próximos 10 anos!

Leia também

Comentar

Comentários arquivados

Artigos recentes: